O que é Iridologia

Iridologia


Os Olhos são a Janela do Corpo e o Espelho da Alma.

Quando usamos a iridologia como um método de avaliação do estado funcional do corpo humano, temos uma visão não apenas do macro, mas também do micro. Ou seja, através da iridologia, podemos avaliar o funcionamento de todos os órgãos e sistema do organismo humano e também a condição tecidual e celular de cada um destes órgãos. Ainda mais, por trás de cada disfunção encontrada em nosso organismo, é possível detectar um comportamento ou uma emoção associada, produzindo uma vibração negativa a nível celular, provocando um estado de hiper ou hipo função naquele tecido, órgão ou glândula. Esta vibração dissonante pode advir de uma palavra, pensamento, sentimento ou ainda de uma atitude negativa nutrida a nível consciente ou inconsciente. E como cada produto, seja vegetal, animal ou mineral também vibra numa frequência, é possível que o uso e abuso de certos produtos na alimentação estejam produzindo frequências dissonantes, traduzindo-se pela desarmonia na complexa orquestra do corpo humano. Por isso já dizia Hipócrates aos seus alunos: “Nunca deixem ninguém vos convencer a tratar sequer uma dor de cabeça, sem antes entregar a sua alma para ser curada. ” Então, antes de se tratar as feridas do corpo, deve ser tratado as feridas da alma, dos sentimentos, dos padrões de pensamentos negativos, geradores dos muitos desarranjos.

Portanto, ao avaliarmos uma íris, com seus múltiplos sinais, como alterações de fibras, cores e pigmentos, devemos antes ter em mente o que seria uma íris perfeita, num estado de normalidade do funcionamento de todos os seus órgãos e sistemas. Como alguém que possui um ouvido absoluto, ao passar por todo o funcionamento atual daquela pessoa através de sua íris, o iridologista devidamente preparado, imediatamente percebe as alterações e desarranjos, que estão causando toda aquela desarmonia – doenças. O que então ele precisa fazer? Saber onde e de que forma mexer, para restaurar a afinação e produzir acordes perfeitos – saúde.
iris 1

Às vezes, basta pequenos ajustes (na alimentação, no estilo de vida, nos padrões de comportamento) e a harmonia se restaura. Outras vezes, é preciso uma mexida geral em todas as cordas (órgãos, sistemas, tecidos e células) ajustando aqui, soltando ali, até que haja uma harmonia total e tudo volte a vibrar de forma saudável. Isso pode demorar um pouco e é preciso um pouco mais de ciência e talento para que as vibrações se harmonizem. Vejamos alguns exemplos:

Esta imagem de íris acima pertence a uma jovem mulher, denotando uma hereditariedade razoavelmente boa, com predominância do DNA materno. Embora com uma certa sensibilidade, porém predomina um comportamento tipo mental, racional, analítico, com um senso crítico bastante aguçado e com uma rigidez mental bem acentuada. É possível observar um quadro de ansiedade mental, porém com uma introspecção bastante forte, com uma energia centrípeta; como consequência desta interiorização, uma hipoatividade enzimática gastrointestinal e muita retenção tóxica nos órgãos do sistema digestório. Mas isso tudo, embora confirmado por ela na avaliação, não era a queixa principal que a levou a me procurar. A grande queixa desta interagente era o quadro de dores muito acentuadas por todo o corpo e um quadro de bastante canseira e esmorecimento. Isto tudo é fruto de uma química muito ácida em todos os tecidos.

Agora, interessante, que depois de uns 3 meses de terapias naturais, ela ainda voltou reclamando de muitas dores. Porém o mais interessante ainda foi que ela chegou dizendo: “Professor, o problema é que eu sou muito ruim e eu sei que é por isso que me dói todo o corpo. ” Vejam só os sentimentos que ela tinha de si mesma! “Eu sou muito ruim…” Como já dizia nas Escrituras sagradas: “Porque, como imagina em sua alma, assim ele é.”Provérbios 23:7. Muitas vezes somos fruto de nossas crenças e nosso corpo físico acompanha o que nutrimos em nossos sentimentos. No caso desta moça, uma rigidez mental, portanto, uma rigidez física. E qual seria uma solução apontada pala ela através da Iridologia? Mudança de padrões de pensamentos, crenças e sentimentos. Mas como isso pode acontecer? Tenho dito sempre: Educar uma criança, já é difícil, mas reeducar um adulto, é mais difícil ainda. Porém não impossível. Pensemos um pouco: Como se forma a personalidade de uma pessoa, ainda quando criança?

Costumamos dizer que a criança é tal qual uma fita virgem. Em tese. Porque há comportamentos que parece que já vem impregnado na genética. Mas em tese, a criança nos é entregue como uma fita virgem para ali gravarmos um conteúdo saudável. E como isso acontece? Até o período de formação da personalidade, por volta dos 6-7 anos de idade, é uma fase de aprendizado e formação do caráter. Primeiro, costumamos estimular os sentidos da criança através de sons, gestos, palavras, cores e atitudes. Isso vai gravando na sua mente e estimulando-a a pensar. Os pensamentos geram ações. Continuando os estímulos, fazemo-la repetir estas ações. As ações repetidas formam hábitos. Muitos hábitos. E o conjunto de hábitos, formam a personalidade. Isso acontece numa criança, que como dissemos antes, é uma fita virgem. Mas e com o adulto? Quando encontramos adultos com uma fita já gravada com muitos sentimentos e crenças negativas, que geram vibrações doentias por todo o organismo? Se pudéssemos ter um meio de desgravar a fita e deixar tudo zero novamente…Mas isso é impossível. Temos que acabar gravando por cima do que já está ali gravado por muitos anos. O que pode acarretar sempre alguns ruídos ao fundo da nova gravação, fazendo que de vez em quando apareça ainda alguns dos defeitos ali cultivados.

Mas qual será a técnica empregada para regravar esta fita já usada e desgastada pelo tempo? Novamente, temos que incutir novos estímulos, novos pensamentos, geradores de novas atitudes. Insistindo com estas novas ações, repetindo-as, criarão novos hábitos. E assim, num longo e contínuo processo de Reeducação, com o conjunto de muitos novos hábitos de vida saudáveis (comer, beber, dormir, pensar, viver), vagarosamente vamos percebendo uma transformação nesta personalidade, que se traduzirá por um corpo e mente sadios. E para conseguirmos isso, valemo-nos de muitas ferramentas disponíveis hoje: Alimentação personalizada, de acordo com sua individualidade; leitura de bons livros que alimentam novas ideias e novas crenças; psicoterapia; exercícios; e até, a medicina vibracional, através de plantas, nutrientes e florais que auxiliarão nesse processo de reconstrução de uma personalidade sadia. Mas vejamos ainda outro exemplo:

Neste par de íris à cima já vemos um quadro totalmente oposto ao analisado anteriormente. Uma senhora com uma estrutura conhecida classicamente como frágil, mais vulnerável a muitas situações, pois seus tecidos são frágeis, carecem de tonicidade, e, portanto, é de se esperar uma pessoa com muitas queixas. Porém ao avalia-la, ela praticamente não tinha queixa de nada. Embora sua íris mostrasse um quadro de acidez digestiva, isso para ela não era problema. Um pouco acima do peso, mostrando fragilidade em todo o seu sistema glandular. Quando lhe falei de alterações ginecológicas, relatou com muita naturalidade quadro de bastante corrimentos, ainda rindo da situação. Bem atrapalhadinha na reunião de seus sintomas, muito esquecida quando lhe perguntei sobre sua memória, mas mostrando sempre uma pessoa muito desligada de tudo. Regras na alimentação? Isso ela não conhecia. Comia igual a todo mundo, inconsciente da relação alimentação e saúde. Seus problemas clínicos claramente são frutos de um estilo de vida saudável, principalmente no aspecto alimentar, por pura falta de orientação. Qual era sua grande vantagem em relação ao caso anterior? Não se estressava por nada. Tudo o que entrava em sua mente, saia livremente. Como diz o velho ditado: “Entrava por um ouvido e imediatamente saía pelo outro. ” Ou seja, nada lhe era indigesto a nível mental. Consequentemente, mesmo que algo considerado insalubre lhe entrasse pela boca, nada ou pouca coisa se lhe pegava, pois, seu corpo, fruto de sua mente aberta, não retinha nada que pudesse lhe prejudicar. Claro que isso também tem um lado negativo. Contra a lei da “causa e feito”, não se pode lutar. Um dia ela vai colher as consequências de seus abusos alimentares. Mas durante muito tempo ela vai gozar a vida. Portanto, a nível comportamental, ela precisa sim de alguns ajustes. Precisa aprender e racionalizar um pouco, a pesar as consequências de cada ato seu, a centrar-se um pouco mais. Mas as consequências do caso anterior são muito mais pesadas ao corpo físico do que estas no caso atual. Por isso que sempre lembro aos meus alunos uma frase de uma música dos anos 70 de Silvio Brito: “é a cabeça irmão, é a cabeça irmão.”
Com a experiência de mais de 25 anos atendendo pessoas diariamente através da iridologia, embora eu seja um defensor ferrenho da alimentação o mais natural possível, vegetariana, integral, crudívora e viva, cheguei a conclusão de que se a cabeça não estiver bem, nada no corpo vai funcionar bem. Somo que comemos, mas somos muito mais o que pensamos. Nossos órgãos vão vibrar na mesma sintonia de nossa mente, nossas crenças, nossa fluidez mental. A grande maioria dos seres humanos vivem numa ansiedade mental permanente. Ou vivem remoendo experiências negativas do passado ou vivem antecipando situações negativas do futuro. E isso tudo se manifesta no tecido iridal.

iris 6

Portanto, os olhos são de fato, a janela do corpo e o espelho da alma. Através da iridologia podemos chegar a nos conhecermos melhor e também a nos relacionarmos melhor no ambiente em que vivemos, seja ele familiar, no trabalho ou em qualquer âmbito da sociedade. Ela serve para nos mostrar qual a corda está desafinada ou nos mostrar também que estamos afinados numa altura tal que não pode ser acompanhada por quem está ao nosso lado. Então, a Iridologia é a grande ferramenta que pode nos mostrar o caminho para o equilíbrio físico, mental e emocional. Numa época em que precisamos pensar de forma quântica, digo vos, que o caminho para isso passa pelo seus olhos. É uma ciência pela qual sou apaixonado. Pois em cada pessoa que passa por uma avaliação no meu consultório ou aluno que passa por nossos cursos em sala de aula, vejo um universo de informações que pode ser explorado para o bem de cada indivíduo.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

.